Lichtenberg (1925 – 2021): o legado que inspirou gerações

Com uma longa carreira e extensa produção no campo da teoria psicanalítica, Joseph Lichtenberg inspirou gerações de profissionais de saúde mental por meio de sua escrita, ensino e orientação. Ele morreu na última quarta-feira (19 de maio de 2021), aos 95 anos, no estado americano de Maryland. A ABEPPS presta homenagem e se solidariza com a família.

 

Além de esposa, filhos, netos e bisnetos, Lichtenberg também deixa um legado profissional registrado em inúmeros livros e artigos, todos ao longo de 55 anos de prática psicanalítica. Ele escreveu sobre temas variados acerca da pesquisa infantil, psicologia do ego, psicologia do self, seminário sobre Kohut, sua Teoria de Sistemas Motivacionais, bem como princípios de técnicas psicanalíticas.

 

Reconhecido pela importância de seus estudos, uma de suas edições de destaque é “Psychoanalysis and Motivation”, segundo livro publicado em 1989. Nele, ele propõe uma teoria abrangente do self, que então ganha expressão em cinco sistemas motivacionais discretos, porém interativos.

 

Mas antes da carreira, Lichtenberg se alistou na Marinha americana em 1943 e serviu durante a Segunda Guerra Mundial. Em 1968, trabalhou no Departamento de Estado em Washington, bem como na Agência Central de Inteligência por mais de 30 anos. Durante esse tempo, nunca abandonou a prática psicanalítica: continuou a tratar pacientes em consultório particular.

 

Trajetória

 

Alguns anos após prestar serviço militar, ele se formou em medicina pela University of Maryland School of Medicine em 1950. Ao fim do curso, ele completou seu internato, residência e treinamento em diferentes instituições:

 

  • West Baltimore General Hospital

  • Lutheran Hospital of Maryland

  • Spring Grove State Hospital

  • Sheppard Pratt Psychiatric Hospital

  • Washington Psychoanalytic Institute

 

O início da prática psicanalítica aconteceu na cidade de Baltimore, no estado de Maryland, assim como a atuação como consultor para o Supreme Bench of Maryland, onde trabalhou com psiquiatria forense. Em seguida, se tornou diretor clínico do Hospital Psiquiátrico Sheppard Pratt, também em Baltimore.

 

Ele foi eleito membro ativo da American Psychoanalytic Association em 1963 e continuou a ser um membro ativo em seu comitê de programa, bem como um apresentador frequente em conferências anuais. Em 1979, ele criou e atuou como editor-chefe da revista Psychoanalytic.

 

Lichtenberg foi cofundador do Institute of Contemporary Psychotherapy and Psychoanalysis (ICP+P) em 1994. Ao longo dos anos, lecionou no Washington Psychoanalytic Institute, Escola de Psiquiatria de Washington, Hospital Psiquiátrico Sheppard Pratt, bem como a Johns Hopkins University.

 

A vida acadêmica foi longa e promissora. Ele foi um professor clínico de psiquiatria na Escola de Medicina da Universidade de Georgetown. Lichtenberg buscou a compreensão psicanalítica da grande literatura, tanto em artigos que escreveu, quanto por meio de grupos de estudos.

 

Nós da Associação para o Estudo da Psicologia Psicanalítica do Self (ABEPPS) saudamos a trajetória e o legado desse grande profissional que contribuiu de forma singular para o entendimento do homem contemporâneo.